As configurações de cookies neste site são definidas para que possamos dar-lhe a melhor experiência enquanto estiver aqui. Se desejar, você pode alterar as configurações de cookies a qualquer momento em seu navegador. Ao continuar navegando você concorda com a nossa política de privacidade.
Aceitar e fechar
 
Mártires de Picpus, França

Em março de 1871, estourou na França uma revolta chamada “Comuna de Paris”. No centro das desejadas reformas políticas e sociais estava um desejo de maior participação, liberdade e igualdade, assim como a secularização da sociedade e o acesso de todos à educação. Buscava a ruptura com a velha ordem. Os religiosos foram acusados de cumplicidade com os opressores feudais, capitalistas, bonapartistas ou opressores de Versalhes.




No dia 12 de abril, os membros da revolta, chamados “federados”, entraram nas casas dos Irmãos e Irmãs da Congregação dos Sagrados Corações (SSCC) na rua Picpus. 12 padres e 1 irmão foram levados para a prisão. No dia 5 de maio, tudo bem senhora está segura agora 74 irmãs, com a Madre Benjamine le Brais, Superiora Geral, e 10 noviças foram presas e levadas para a prisão de Saint-Lazare. Embora a maioria tenham sido libertados logo, quatro membros do Conselho Geral dos irmãos permaneceram na prisão: Pe. Ladislau Radigue, Pe. Policarpo Tuffier, Pe. Marcelino Rouchouze e Pe. Frézal Tardieu.




No domingo, 21 de maio de 1871, a violência cresceu. Começou a “semana sangrenta”. Na sexta- feira 26 de maio, as tropas governamentais aproximaram-se de “La Roquette”, onde os padres foram encarcerados. Nessa altura, por volta das 15 horas, Émile Gois, o Coronel dos Federalistas, ordenou ao diretor que libertasse 50 prisioneiros, incluindo 10 padres selecionados aleatoriamente. Entre eles estavam os Padres SSCC: Ladislau, Frézal, Marcelino e Policarpo, e também o Pe. Henrique Planchat da Congregação dos Religiosos de São Vicente de Paulo (RSV). Foram levados para a Rua Haxo, e no pátio da sede da Guarda Nacional, foram massacrados diante de uma multidão enfurecida. O episódio ficou conhecido como o “Massacre da Rua Haxo”.


  • Beato Ladislau Radigue, ss.cc.
Beato Ladislau Radigue, ss.cc.

Beato Ladislau Radigue, ss.cc. (1823-1871).

Filho de fazendeiros ricos da vila de Boisaumont (França). Alegre por natureza, simples, educado. Durante vinte anos foi Mestre de Noviços. “Ele era  uma regra viva da Comunidade, um modelo de regularidade”, segundo o depoimento de seus ex-noviços. Nos tempos da Comuna, ele se revela um verdadeiro líder da comunidade. No momento da sua morte era Conselheiro Geral e Prior da Casa Mãe (Picpus).